12 de julio de 2013

IPLA - O Mundo - Visto pela Psicanálise. Nº 39



O Mundo - Visto pela Psicanálise
FacebookTwitter
12 de julho de 2013       Nº 39
Ao Futuro
Ao Futuro
Entre o cinza de Bruxelas e o azul do Mediterrâneo, Jorge Forbes participou do 2º Congresso Europeu de Psicanálise e falou sobre o Brasil com Luc Ferry: nas redes sociais, um novo amor. Ao longo do Congresso, informou pelo twitter o que se debateu em torno ao tema: Depois de Édipo, as mulheres se conjugam Ao Futuro. Nesta edição, você também lê a respeito do cumprimento de medidas socioeducativas por jovens infratores, sobre a experiência de pesquisadores brasileiros em Angola e ainda conhece a solução jurídica encontrada pela China para a difícil missão de lidar com pais idosos.
Entre o cinza e o azulEm nome da lei
Entre o cinza e o azul
De Bruxelas, Jorge Forbes informa sobre os debates do 2º Congresso Europeu de Psicanálise, que teve a participação de 1.300 pessoas. Leia a série de comentários que Forbes publicou no Twitter sobre os temas abordados. Depois do cinza de Bruxelas, um pouco do azul do mediterrâneo, em conversas com Luc Ferry sobre o Brasil. LEIA MAIS
Em nome da lei
Como lidar com pais idosos é uma questão que afeta famílias em todo o mundo. A China encontrou uma solução, no mínimo, curiosa para enfrentar o problema: uma nova lei obriga adultos chineses a visitarem seus pais. A psicanalista Liége Lise questiona: "É possível amar por decreto?" LEIA MAIS
De que Língua Portuguesa estamos falando?Coragem de deixar falar o inconsciente
De que Língua Portuguesa estamos falando?
Um país que passou por uma sangrenta guerra civil. Homens que lutaram e mataram por um conceito de pátria duvidoso. O remorso que persiste na pergunta que não cala: que sentido havia mesmo nisso tudo? Assim o escritor António Lobo Antunes define Angola, país para onde viajou um grupo de docentes e pesquisadores brasileiros. Foram para ensinar, mas também para aprender. Por Claudia Riolfi. LEIA MAIS
Coragem de deixar falar o inconsciente
É longa a tradição brasileira assistencial-repressiva no atendimento à criança e ao adolescente em conflito com a lei. Assim como é costumeiro o clamor pela redução da maioridade penal. Lacan aponta uma direção possível para o trabalho com infratores e o cumprimento de medidas socioeducativas: o assentimento subjetivo da culpa e da função de expiação do crime que tem a punição. Por Christiane da Mota Zeitoune. LEIA MAIS
Passe Férias com Freud e Lacan
Passe férias com Freud e Lacan

No hay comentarios: